domingo, 16 de dezembro de 2012

Futebol é a mais brasileira das religiões

A única vez na vida que entrei em campo para jogar bola fui parar no hospital e carrego essa marca para o resto da minha vida... conto depois.
Bola, na minha casa, é adorno entre os meus livros

Mas antes preciso confessar. Estou impressionado com esse fanatismo da "nação corintiana". Mais de 25 mil torcedores, em Yokohama, no Japão, desde o primeiro minuto num coro inflamado ecoando para o mundo de um dos templos do futebol.
Aos exatos dez minutos mudou a música, para um grito coletivo de susto, quando o time inglês, Chelsea, numa falha da defesa corintiana, quase faz o primeiro gol da partida. Dezoito minutos depois ecoa um coro sonoro inverso com um quase gol, agora do time brasileiro. É um enfrentamento de dois gigantes desse esporte que nasceu na inglaterra. Mais parece fim de copa do mundo!
Aos 34 minutos, mais uma chance perdida de Emerson. E a torcida explode sem ficar em silêncio um só segundo desde o início da partida. Aos 37 o goleiro Cássio faz a segunda defesa. Aos 38 outra. Jogo de titãs. Mais 3 minutos e outra defesa do goleirão brasileiro. E a torcida não pára. Termina o primeiro tempo 0x0. Destaque para o Cássio. O Chelsea teve chances mais concretas de gol, mas ouço muito que "quem não faz, toma"...

Ícone da religião que mais mobiliza brasileiros é destaque na minha estante, entre livros

Cinco minutos do segundo tempo e o Chelsea vem pra cima!
Mais três minutos e Cássio é "o cara". E a torcida continua no mesmo ritmo, religioso. Segundo Frei Beto, jogo de futebol no Brasil é missa obrigatória. "Eu disse missa? Sim, sem exagero. Porque, no Brasil, futebol é religião. E jogo, liturgia. O torcedor tem fé no seu time. Ainda que o time seja o lanterninha, o torcedor acredita piamente que dias melhores virão. Por isso, honra a camisa, vai ao estádio, mistura-se à multidão, grita, xinga, aplaude, chora de tristeza ou alegria, qual devoto que deposita todas as suas esperanças no santo de sua invocação."
Golaço aos 23 minutos, de Paulo Guerrero, e a explosão do "bando de loucos", da torcida corintiana e fogos, muitos, também em Joinville.

O meu jogo...
Eu trabalhava na Cia Hansen Industrial (atualmente Tigre S.A.) e chefiava uma das fábricas do grupo empresarial, em Joinville, SC, às margens da BR 101. Liderava um grupo de meia centena de empregados, a maioria mulheres. No entanto, tinha homens suficiente para um time de futebol de salão. E uma grande e bela torcida.
Decidi apoiar iniciativa nascida na base e patrocinei uniforme para o time. Eu estava lá, na SER Tigre, era o seu diretor social e aproveitava o momento do cargo para articular o jogo. Para minha surpresa, o time, empurrado pela torcida, me intimou a entrar em campo. Não tive como fugir a intimacão, até porque me foi dito que eu só precisava ficar lá, no ataque, esperar a bola e fazer o gol. Se era fácil assim...
Esqueceram de avisar os jogadores do outro time. A bola chegou aos meus pés. Dei um toque e me impulsionei para chutar. A defesa veio com tudo no meu pé de apoio. Foi um tombo, desajeitado. Ouvi um estalo quando minha mão apoiou o corpo no chão e uma dor terrível. Arrebentou o tendão do dedo anular da mão direita. Menos de três minutos de jogo e fui parar no hospital.
Nunca mais entrei em campo. Foi a primeira e última vez na vida. Mas, gosto de assistir um bom jogo. E isso tenho visto muito com os times brasileiros. Não sou torcedor de nenhum time. Em cada jogo torço pelo espetáculo. Jogos como esse do Corinthians, não perco. É minha missa do domingo, sábado, quarta, qualquer dia da semana.
Sempre que assisto um jogo, olho para a cicatriz e rio...


E o Corinthians é o Campeão Mundial de Clubes 2012, pois o bandeirinha que deixou de marcar vários impedimentos, marcou acertadamente um gol impedido do Chelsea, na prorrogação. O Japão vai ter mais um terremoto! Que jogo!

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

"O GIGANTE acuado" é objeto de parceria entre o Clube de Oratória e a Defensoria Social

A profissão conduziu-me. Tornei-me escritor. Ainda principiante.
No início da tarde de 12/12/12, às 12h12min12seg, escrevi a primeira dedicatória da minha  vida como tal, em evento na Livraria Midas, em Joinville, SC, na sessão de autógrafos do lançamento da obra "O GIGANTE Acuado".
Fotografada por Fabiane Carvalho, a empresária Rúbia Tânia Welter, da Imobiliária Visão, foi a "primeirona"

Foi com essa amiga querida a minha estreia. Ela é diretora de comunicação do COL (Clube de Oratória e Liderança) e quem lidera uma das mais importantes atividades voluntárias dessa ONG que desde 1979 vem formando líderes e oradores.
Trata-se da palestra que realizamos em escolas, "A importância da leitura na ascensão profissional". A partir de agora, o clube e a Defensoria Social são parceiros. Em todas as escolas públicas onde o evento for realizado serão doados exemplares do livro para suas bibliotecas.
Com aproximadamente três mil líderes e oradores formados em seus cursos, o COL já está com as inscrições abertas para o próximo Curso de Oratória e Liderança com Ênfase em Desinibição, em Joinville, SC.

Leia mais sobre as palestras:
Ascensão profissional através da leitura
A importância da leitura na ascensão profissional
Leitura e ascensão profissional

Leia mais postagens sobre o livro (Para comprá-lo clique aqui)
"O GIGANTE acuado" já está na livraria
12/12/12, uma data enigmática
Defensoria Social escolhe Joinville
R$ 50 milhões de indenização
Uma arma à cabeça, um tiro. Jornalismo é profissão de risco
Loteamento com aterro de rejeitos é denunciado pela Defensoria Social
Minha casa, o fim da minha vida
"Deus" tremendo filho da puta
Acontecimentos inesperados, consequências de incalculáveis repercussões
Publicações feitas em outros veículos de comunicação sobre o tema:

Jornal O Vizinho (JOV)

Edição 748 do JOV (Jornal O Vizinho) - Edição comemorativa de aniversário de Joinville com destaque de capa para o tema (reuso de areias de fundições) com entrevista exclusiva do representante da CNBB (Confederação Nacional dos Bispos do Brasil) nas páginas 6 e 7.
Edição 750 do JOV - Destaque de capa para entrevista com o Bispo Diocesano de Joinville, Dom Irineu Roque Scherer e editorial sobre a denúncia da Defensoria Social.
Edição 751 do JOV - Destaque de capa para o embate sobre o tema com publicação na íntegra, de nota da Tupy Fundições S.A. (direito de resposta) e alerta da Defensoria Social sobre o que qualifica de ações intimidatórias da empresa contra o jornal, nas páginas 4 e 5.
Edição 752 do JOV - Destaque de capa alerta que a Calçada do 62 BI pode ser apenas a ponta do iceberg com reportagem da cobertura jornalística de audiência pública na CVJ (Câmara de Vereadores de Joinville) nas páginas 6 e 7 e comentário em editorial.
Edição 753 do JOV - Destaque de capa para as novas denúncias feitas por vereadores contra o reúso de areias de fundições e repercussão do tema noutros veículos nas páginas 6 e 7.
Edição 760 do JOV - Destaques de capa para resposta da Fatma/SC aos questionamentos feitos pelos vereadores sobre o reúso das areias de fundições
Edição 761 do JOV - e edição 046 do JOI - Destaques de capa para resposta do prefeito de Joinville às perguntas dos vereadores sobre os casos de suspeita de câncer e suas relações com as areias de fundição
Edição 762 do JOV - Destaque na coluna de meio ambiente na página 4, alerta da Defensoria Social sobre a "Decisão Duvidosa" da prefeitura de Joinville em oficializar o reuso das areias de fundições.
Edição 771 do JOV - Destaque na contra capa com a matéria "Parceiro da Paz e da Sustentabilidade"
Edição 772 do JOV - Destaque na contra capa anuncia que o editor do JOV fora eleito com "Prêmio da ONU"
Edição 783 do JOV - Destaque de capa denuncia movimento das indústrias para o reúso das areias de fundição como "fertilizante"
Edição 784 do JOV - Destaque na contra capa que Joinville lidera iniciativa de uso de rejeito industrial na produção de alimentos
Edição 785 do JOV - Destaque de capa: Rejeitos de fundição podem virar "fertilizante"
Edição 786 do JOV - Reportagem de capa destaca que homenagem a joinvilense seria feita na Rio+20 teria sido boicotada pelo governo Dilma
Edição 787 do JOV - Destaque de capa denuncia uso areias de fundição em obra do Programa do Governo Federal "Minha Casa, Minha Vida"

Jornal O Joinvilense (JOI)
Edição 045 do JOI 
- Destaque de capa para a resposta da Fatma que faz crescer suspeita contra fundiçãoEdição 040 do JOI - (Jornal O Joinvilense) - Destaque de capa para os riscos do reúso de areias de fundições contaminadas com o cancerígeno fenol e complemento de reportagem na página 3
Edição 046 do JOI - Destaque de capa para resposta do prefeito de Joinville às perguntas dos vereadores sobre os casos de suspeita de câncer e suas relações com as areias de fundição.
Edição 050 do JOI - Destaque na contra-capa reporta Prêmio da ONU ao editor do jornal
Edição 056 do JOI - Reportagem de capa destaca que iniciativa joinvilense mobiliza resistência nacional contra uso de rejeitos industriais na agricultura
Edição 057 do JOI - Reportagem de capa revela que Defensoria Social reage a ação do Palácio do Planalto

Jornal O Garuvense (JOG)
Edição 032 do JOG (Jornal O Garuvense) - Nota na página 8 sobre a repercussão nacional feita no JOV
Postagem neste blog sobre a reação da empresa contra esse jornalista e o JOV
Edição 33 do JOG - Destaque na coluna de meio ambiente na página 8 sobre o evento na Câmara de Vereadores de Joinville.
Edição 37 do JOG - Destaque na coluna de meio ambiente na página 8 sobre a denúncia nacional contra a Tupy Fundições S.A. no Anuário Brasil Sustentável.
Edição 042 do JOG - Destaque na coluna de meio ambiente na página 8, alerta da Defensoria Social sobre a "Decisão Duvidosa" da prefeitura de Joinville em oficializar o reúso das areias de fundições
Edição 047 do JOG - Destaque de capa sobre o Prêmio da ONU
Edição 060 do JOG - Destaca na capa que rejeitos de fundições podem virar "fertilizante"
Edição 062 do JOG - Destaca na capa que o Palácio do Planalto teria boicotado homenagem a joinvilense na Rio+20

Jornal O Araquariense (JOA) )Edição 001 do JOA - Destaque de capa sobre o Prêmio da ONU
Edição 015 do JOA - Destaca que Joinville lidera iniciativa de uso de resíduo industrial na agricultura
Edição 017 do JOA - Anuncia a criação do TSI (Tribunal Social Internacional


quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

"O GIGANTE acuado" já está na livraria

Para comprá-lo clique aqui.

Acredito que a primeira sessão de autógrafos nunca se esquece.
Evento aconteceu na Livraria Midas, em Joinville, SC, dia 12/12/12, com esse registro feito por Fabiane Carvalho, minha sócia no Bureau de Comunicação e Eventos

A gerente da Livraria Midas, Sara Pavesi Veiga, ficou surpresa. "Que prestígio! Quanta gente!". Eu também. Mais feliz que surpreso. Principalmente considerando o horário oficial do lançamento do livro - 12h12min12seg, no dia 12/12/12, meio de semana!
Minha filha Jéssica Andrade veio da Índia, para o evento. Amigos que há anos não nos víamos, lá estiveram. Alguns foram fotografados pela "indiana":
O casal Josimeri Avila e Arnaldo Fortuna, meu ex-sócio, na Taifu Química

O parceiro de negócios, de mais de 20 anos, Evilásio Tadeu Klein

O presidente do IVC, João Carlos Farias conversa com o associado Mauro Ronchi e o professor Ademir da Cunha
O anfitrião da Midas, Paulo Roberto Post (me olhando de soslaio)

Ainda passaram por lá a Suzana Heinzelmann, a Margareth Drefahl, a Rúbia Welter, o Jean Postai, o presidente do Clube de Oratória Mário Floriani e sua companheira Jaira, meu sócio Jorge Mazotto e nossa colaboradora Daiane Cunha entre outros colegas de profissão, de atividades voluntárias e interessados no livro.
Fomos muito bem atendidos pela equipe da Midas e da Vitare Café que produziu delicioso brunch. Meus sinceros agradecimentos a todos que lá estiveram e que contribuíram com a produção da obra e do evento.
Na condição de Procurador Regional da Defensoria Social estou à disposição para palestras e debates sobre o conteúdo do livro em escolas, associações de moradores, entidades ambientalistas etc.


Sobre esse tema, seguem links de outras postagens neste blog e de outros sítios na internet:
12/12/12, uma data enigmática
Defensoria Social escolhe Joinville
R$ 50 milhões de indenização
Uma arma à cabeça, um tiro. Jornalismo é profissão de risco
Loteamento com aterro de rejeitos é denunciado pela Defensoria Social
Minha casa, o fim da minha vida
"Deus" tremendo filho da puta
Acontecimentos inesperados, consequências de incalculáveis repercussões
Publicações feitas em outros veículos de comunicação sobre o tema:

Jornal O Vizinho (JOV)
Edição 748 do JOV (Jornal O Vizinho) - Edição comemorativa de aniversário de Joinville com destaque de capa para o tema (reuso de areias de fundições) com entrevista exclusiva do representante da CNBB (Confederação Nacional dos Bispos do Brasil) nas páginas 6 e 7.
Edição 750 do JOV - Destaque de capa para entrevista com o Bispo Diocesano de Joinville, Dom Irineu Roque Scherer e editorial sobre a denúncia da Defensoria Social.
Edição 751 do JOV - Destaque de capa para o embate sobre o tema com publicação na íntegra, de nota da Tupy Fundições S.A. (direito de resposta) e alerta da Defensoria Social sobre o que qualifica de ações intimidatórias da empresa contra o jornal, nas páginas 4 e 5.
Edição 752 do JOV - Destaque de capa alerta que a Calçada do 62 BI pode ser apenas a ponta do iceberg com reportagem da cobertura jornalística de audiência pública na CVJ (Câmara de Vereadores de Joinville) nas páginas 6 e 7 e comentário em editorial.
Edição 753 do JOV - Destaque de capa para as novas denúncias feitas por vereadores contra o reúso de areias de fundições e repercussão do tema noutros veículos nas páginas 6 e 7.
Edição 760 do JOV - Destaques de capa para resposta da Fatma/SC aos questionamentos feitos pelos vereadores sobre o reúso das areias de fundições
Edição 761 do JOV - e edição 046 do JOI - Destaques de capa para resposta do prefeito de Joinville às perguntas dos vereadores sobre os casos de suspeita de câncer e suas relações com as areias de fundição
Edição 762 do JOV - Destaque na coluna de meio ambiente na página 4, alerta da Defensoria Social sobre a "Decisão Duvidosa" da prefeitura de Joinville em oficializar o reuso das areias de fundições.
Edição 771 do JOV - Destaque na contra capa com a matéria "Parceiro da Paz e da Sustentabilidade"
Edição 772 do JOV - Destaque na contra capa anuncia que o editor do JOV fora eleito com "Prêmio da ONU"
Edição 783 do JOV - Destaque de capa denuncia movimento das indústrias para o reúso das areias de fundição como "fertilizante"
Edição 784 do JOV - Destaque na contra capa que Joinville lidera iniciativa de uso de rejeito industrial na produção de alimentos
Edição 785 do JOV - Destaque de capa: Rejeitos de fundição podem virar "fertilizante"
Edição 786 do JOV - Reportagem de capa destaca que homenagem a joinvilense seria feita na Rio+20 teria sido boicotada pelo governo Dilma
Edição 787 do JOV - Destaque de capa denuncia uso areias de fundição em obra do Programa do Governo Federal "Minha Casa, Minha Vida"

Jornal O Joinvilense (JOI)
Edição 045 do JOI 
- Destaque de capa para a resposta da Fatma que faz crescer suspeita contra fundiçãoEdição 040 do JOI - (Jornal O Joinvilense) - Destaque de capa para os riscos do reúso de areias de fundições contaminadas com o cancerígeno fenol e complemento de reportagem na página 3
Edição 046 do JOI - Destaque de capa para resposta do prefeito de Joinville às perguntas dos vereadores sobre os casos de suspeita de câncer e suas relações com as areias de fundição.
Edição 050 do JOI - Destaque na contra-capa reporta Prêmio da ONU ao editor do jornal
Edição 056 do JOI - Reportagem de capa destaca que iniciativa joinvilense mobiliza resistência nacional contra uso de rejeitos industriais na agricultura
Edição 057 do JOI - Reportagem de capa revela que Defensoria Social reage a ação do Palácio do Planalto

Jornal O Garuvense (JOG)
Edição 032 do JOG (Jornal O Garuvense) - Nota na página 8 sobre a repercussão nacional feita no JOV
Postagem neste blog sobre a reação da empresa contra esse jornalista e o JOV
Edição 33 do JOG - Destaque na coluna de meio ambiente na página 8 sobre o evento na Câmara de Vereadores de Joinville.
Edição 37 do JOG - Destaque na coluna de meio ambiente na página 8 sobre a denúncia nacional contra a Tupy Fundições S.A. no Anuário Brasil Sustentável.
Edição 042 do JOG - Destaque na coluna de meio ambiente na página 8, alerta da Defensoria Social sobre a "Decisão Duvidosa" da prefeitura de Joinville em oficializar o reúso das areias de fundições
Edição 047 do JOG - Destaque de capa sobre o Prêmio da ONU
Edição 060 do JOG - Destaca na capa que rejeitos de fundições podem virar "fertilizante"
Edição 062 do JOG - Destaca na capa que o Palácio do Planalto teria boicotado homenagem a joinvilense na Rio+20

Jornal O Araquariense (JOA) )Edição 001 do JOA - Destaque de capa sobre o Prêmio da ONU
Edição 015 do JOA - Destaca que Joinville lidera iniciativa de uso de resíduo industrial na agricultura
Edição 017 do JOA - Anuncia a criação do TSI (Tribunal Social Internacional

12/12/12, uma enigmática data


De acordo com o sítio entretenimento.br.msn.com, essa data tem tudo a ver com o lançamento do meu primeiro livro, "O GIGANTE acuado". Vejam o que diz o Canal da Astrologia, por Yubertson Miranda:


O significado do dia 12/12/12
Quando nos deparamos com uma data com números repetidos, tal como o dia 12/12/12, no mínimo ficamos curiosos. É uma ocasião que chama a atenção e ativa nossa imaginação. Mas será que há mesmo algo de especial nesse dia?
Na Numerologia, cada dia traz um propósito, uma lição. Resta saber quais aprendizados estão envolvidos na data 12/12/12. Se somarmos os algarismos que formam o número 12, encontramos o resultado 3 (1+2=3). E esse é o número da comunicação, da sociabilidade e do humor. Sendo assim, é possível dizer que esses temas estarão em evidência no dia 12/12/2012. Portanto, os aprendizados nesta data estarão voltados para entrar em contato com as pessoas e saber usar as palavras com criatividade e alegria nas interações sociais.
Você pode comentar: "ah, só isso? Não abrirá nenhum portal e a humanidade não atingirá um novo nível de consciência neste dia?". Para responder esse comentário, vale a pena lembrar uma figura pública muito querida pela maioria dos brasileiros: o apresentador Silvio Santos. Ele nasceu em um dia 12/12 (só que no ano de 1930) e durante décadas leva alegria ao público com seu programa, carisma e humor. O apresentador sabe usar as palavras de um modo cativante, que acabou fascinando, durante anos, um público diversificado. A popularidade dele é algo impressionante.
Isso mostra a relevância do poder comunicativo que o número 3 oferece. E no dia 12/12/12 estará ao seu dispor a oportunidade de ter alegria, entrar em contato com as pessoas e colocar um sorriso no rosto delas. Afinal, o simbolismo do 3 pede para usarmos a criatividade, o alto astral e a inspiração. Então faça isso neste dia. Leve em consideração a importância de se expressar (seja escrevendo, falando, pintando, representando, desenhando ou simplesmente se divertindo) como a grande lição desta data.

Além de ateu, sou cético. Mas, como hoje me é um dia especial, vou agir "acreditando" nesse texto do Miranda e, daqui a pouco, estarei na Livraria Midas, em Joinville, SC, para, às 12h12min12seg fazer o lançamento da obra que me inicia como escritor.



Sobre esse tema, seguem links de outras postagens neste blog e de outros sítios na internet:
Defensoria Social escolhe Joinville
R$ 50 milhões de indenização
Uma arma à cabeça, um tiro. Jornalismo é profissão de risco
Loteamento com aterro de rejeitos é denunciado pela Defensoria Social
Minha casa, o fim da minha vida
"Deus" tremendo filho da puta
Acontecimentos inesperados, consequências de incalculáveis repercussões
Publicações feitas em outros veículos de comunicação sobre o tema:

Jornal O Vizinho (JOV)
Edição 748 do JOV (Jornal O Vizinho) - Edição comemorativa de aniversário de Joinville com destaque de capa para o tema (reuso de areias de fundições) com entrevista exclusiva do representante da CNBB (Confederação Nacional dos Bispos do Brasil) nas páginas 6 e 7.
Edição 750 do JOV - Destaque de capa para entrevista com o Bispo Diocesano de Joinville, Dom Irineu Roque Scherer e editorial sobre a denúncia da Defensoria Social.
Edição 751 do JOV - Destaque de capa para o embate sobre o tema com publicação na íntegra, de nota da Tupy Fundições S.A. (direito de resposta) e alerta da Defensoria Social sobre o que qualifica de ações intimidatórias da empresa contra o jornal, nas páginas 4 e 5.
Edição 752 do JOV - Destaque de capa alerta que a Calçada do 62 BI pode ser apenas a ponta do iceberg com reportagem da cobertura jornalística de audiência pública na CVJ (Câmara de Vereadores de Joinville) nas páginas 6 e 7 e comentário em editorial.
Edição 753 do JOV - Destaque de capa para as novas denúncias feitas por vereadores contra o reúso de areias de fundições e repercussão do tema noutros veículos nas páginas 6 e 7.
Edição 760 do JOV - Destaques de capa para resposta da Fatma/SC aos questionamentos feitos pelos vereadores sobre o reúso das areias de fundições
Edição 761 do JOV - e edição 046 do JOI - Destaques de capa para resposta do prefeito de Joinville às perguntas dos vereadores sobre os casos de suspeita de câncer e suas relações com as areias de fundição
Edição 762 do JOV - Destaque na coluna de meio ambiente na página 4, alerta da Defensoria Social sobre a "Decisão Duvidosa" da prefeitura de Joinville em oficializar o reuso das areias de fundições.
Edição 771 do JOV - Destaque na contra capa com a matéria "Parceiro da Paz e da Sustentabilidade"
Edição 772 do JOV - Destaque na contra capa anuncia que o editor do JOV fora eleito com "Prêmio da ONU"
Edição 783 do JOV - Destaque de capa denuncia movimento das indústrias para o reúso das areias de fundição como "fertilizante"
Edição 784 do JOV - Destaque na contra capa que Joinville lidera iniciativa de uso de rejeito industrial na produção de alimentos
Edição 785 do JOV - Destaque de capa: Rejeitos de fundição podem virar "fertilizante"
Edição 786 do JOV - Reportagem de capa destaca que homenagem a joinvilense seria feita na Rio+20 teria sido boicotada pelo governo Dilma
Edição 787 do JOV - Destaque de capa denuncia uso areias de fundição em obra do Programa do Governo Federal "Minha Casa, Minha Vida"

Jornal O Joinvilense (JOI)
Edição 045 do JOI 
- Destaque de capa para a resposta da Fatma que faz crescer suspeita contra fundiçãoEdição 040 do JOI - (Jornal O Joinvilense) - Destaque de capa para os riscos do reúso de areias de fundições contaminadas com o cancerígeno fenol e complemento de reportagem na página 3
Edição 046 do JOI - Destaque de capa para resposta do prefeito de Joinville às perguntas dos vereadores sobre os casos de suspeita de câncer e suas relações com as areias de fundição.
Edição 050 do JOI - Destaque na contra-capa reporta Prêmio da ONU ao editor do jornal
Edição 056 do JOI - Reportagem de capa destaca que iniciativa joinvilense mobiliza resistência nacional contra uso de rejeitos industriais na agricultura
Edição 057 do JOI - Reportagem de capa revela que Defensoria Social reage a ação do Palácio do Planalto

Jornal O Garuvense (JOG)
Edição 032 do JOG (Jornal O Garuvense) - Nota na página 8 sobre a repercussão nacional feita no JOV
Postagem neste blog sobre a reação da empresa contra esse jornalista e o JOV
Edição 33 do JOG - Destaque na coluna de meio ambiente na página 8 sobre o evento na Câmara de Vereadores de Joinville.
Edição 37 do JOG - Destaque na coluna de meio ambiente na página 8 sobre a denúncia nacional contra a Tupy Fundições S.A. no Anuário Brasil Sustentável.
Edição 042 do JOG - Destaque na coluna de meio ambiente na página 8, alerta da Defensoria Social sobre a "Decisão Duvidosa" da prefeitura de Joinville em oficializar o reúso das areias de fundições
Edição 047 do JOG - Destaque de capa sobre o Prêmio da ONU
Edição 060 do JOG - Destaca na capa que rejeitos de fundições podem virar "fertilizante"
Edição 062 do JOG - Destaca na capa que o Palácio do Planalto teria boicotado homenagem a joinvilense na Rio+20

Jornal O Araquariense (JOA) )
Edição 001 do JOA - Destaque de capa sobre o Prêmio da ONU
Edição 015 do JOA - Destaca que Joinville lidera iniciativa de uso de resíduo industrial na agricultura
Edição 017 do JOA - Anuncia a criação do TSI (Tribunal Social Internacional



quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

A primeira confraternização a gente nunca mais esquece

O IVC (Instituto Viva o Cachoeira), uma Oscip (Organização Social Civil de Interesse Público) fundada em agosto de 2008 e já com relevantes projetos socioambientais premiados e implantados, promoveu, quatro anos depois de sua criação, um primeiro encontro de confraternização.
Presidente João Carlos Farias (em pé) imprime seu estilo no IVC

A iniciativa e o patrocínio do evento foi do presidente da Oscip, o administrador e ambientalista João Carlos Farias, mais conhecido como Dr. Água.
Foi a primeira vez que a diretoria do IVC reuniu-se para confraternizar, apenas; e mobilizou ao encontro doze participantes que foram recepcionados pela família Farias.
Mauro Ronchi, Daiane Cunha, Jorge Mazotto, Fabiane Carvalho e Fidélis Berkenbrock

Tive a honra de sediar o encontro na minha casa, pois receber amigos e pessoas comprometidas com as causas socioambientais em busca de melhor qualidade de vida me é animador, gratificante.
O cardápio encomendado foi uma das minhas especialidades, a "cachorrada"

Nada de bebida alcoólica e comida leve porque o dia seguinte (06/12) é de trabalho. Assim, uma das "iguarias" da minha "culinária anfitriã" é a "cachorrada" que tem feito cada vez mais apreciadores.
Comida simples, básica, mas feita de um modo especial e sabor incomum

O IVC foi uma das entidades escolhidas (num total de 10) representante da sociedade civil que levará as propostas recém aprovadas na 3a Conferência Municipal de Meio Ambiente para a Conferência Estadual. O Dr. Água foi conferencista do eixo temático Compostagem e Tecnologias e apresentou o projeto Eco-Escola, implantado há poucos meses na Extensão da Escola Municipal Rural Hermann Müller, em Pirabeiraba.

Outro projeto também implantado pelo IVC, no CEI Fátima, após 9 meses confirma excelente resultado. Trata-se do sistema de aproveitamento de água de chuva que, desde então, reduziu em mais de 40% o consumo de água da rede pública. “De maio de 2011 a janeiro de 2012 o consumo médio era de 71 m3. De fevereiro até outubro reduziu para 41 m3”, comemora João Carlos Farias.
O IVC é uma Organização Social Civil de Interesse Público consolidada no voluntariado ambiental. Interessados em se associar devem acessar o sítio www.institutocachoeira.org.br.

Postagens de outros jantares: