sexta-feira, 15 de abril de 2016

Grupo empresarial HERA tenta impedir a minha liberdade de imprensa

Em outubro de 2015, na edição 829, o JOV (Jornal O Vizinho), que desde 1981 está em circulação e tem sua linha editorial prioritariamente ambientalista, publicou ampla reportagem sobre o aterro industrial do grupo empresarial HERA SUL em Rio Negrinho, SC.
A reportagem “Empresas do Paraná desovam rejeitos em Rio Negrinho, SC” foi base para denúncias também no Ministério Público Federal e Estadual. O grupo empresarial denunciado entrou com ações judiciais contra mim e o jornal.
O SJSC (Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Santa Catarina) reagiu imediatamente.

 
A Fenaj (Federação Nacional dos Jornalistas), no dia 07 de abril, Dia do Jornalista, também noticiou essa aberração contra a liberdade de imprensa.

O fato também teve repercussão no Portal Imprensa.

Dada a gravidade do fato, que coincide com estes tempos em que movimentos estão às ruas pedindo a volta da ditadura, a atitude do grupo empresarial HERA vem ganhando espaços de discussão nos mais variados setores que defendem a liberdade de imprensa. O próprio JOV (Jornal O Vizinho) traz mais uma ampla reportagem de capa sobre o tema.
Esta tentativa feita pelo grupo empresarial HERA, denunciado pelo JOV (Jornal O Vizinho), de impedir a liberdade de imprensa, é um dos casos mais emblemáticos deste ano no meio jornalístico .
Outras entidades já entraram em contato comigo para ampliar a repercussão internacionalmente.

Segundo o presidente do SJSC, Aderbal Filho, a judicialização contra jornais e jornalistas é um expediente usado pelas grandes corporações para tentar calar jornalistas. "Em vez de utilizar os dispositivos que asseguram o direito de resposta ou retificação, gratuito e proporcional ao agravo, empresas e políticos, especialmente, preferem o caminho do assédio judicial e da tentativa de intimidação", diz.
Estou constituindo advogado para minha defesa judicial e cumprindo minha missão de comunicador dando o máximo de publicização ao fato para que estas reações antidemocráticas sofram um mínimo de inibição.


Leia mais sobre o tema neste blog:
Sindicato manifesta apoio ao jornalista Altamir Andrade  
Uma arma à cabeça, um tiro. Jornalismo é profissão de risco
 O desastre da Tupy não VALE? 
IVC denuncia prefeituras de Araquari e Balneário Barra do Sul
Defensoria Social e IVC denunciam prefeitura de Balneário Barra do Sul no MPF
IVC reage à graves violações
Morte de Ambientalista. Aumentam suspeitas sobre Joinville
Ambientalista morto tem seu último pedido atendido
"O GIGANTE acuado" já está na livraria
12/12/12, uma data enigmática
Defensoria Social escolhe Joinville

R$ 50 milhões de indenização
Loteamento com aterro de rejeitos é denunciado pela Defensoria Social
Minha casa, o fim da minha vida
"Deus" tremendo filho da puta
Imperdível, assustador, pois o veneno está à mesa
Acontecimentos inesperados, consequências de incalculáveis repercussões
Diálogos para um Brasil Sustentável
Livro de jornalista joinvilense é destaque em campanha nacional
Fui eleito Parceiro da Paz e Sustentabilidade
Jornalismo continuado, denúncias têm desdobramentos
Sindicato analisa posicionamento em defesa de jornalista
Radialista alerta atitude perigosa da Tupy Fundições
Prossegue o embate sobre areias de fundição
Reação de gigante poluidor contra jornalista joinvilense

Nenhum comentário:

Postar um comentário