domingo, 7 de abril de 2013

Razões para relacionar-se com um jornalista

O dia 07 de abril foi instituído pela ABI (Associação Brasileira de Imprensa) "O Dia do Jornalista" em homenagem a João Batista Líbero Badaró, médico e jornalista, que morreu assassinado por inimigos políticos, em São Paulo, em 22 de novembro de 1830. O movimento popular gerado por sua morte levou à abdicação de D. Pedro I, no dia 7 de abril de 1831. Um século depois, em 1931, em homenagem a esse acontecimento, o dia 7 de abril foi instituído como o "Dia Nacional do Jornalista".
Todavia, esta não é a única data. Várias são as criadas para homenagear esses profissionais da imprensa:
24 de janeiro - Data do padroeiro da profissão, São Francisco de Sales (bispo e doutor da Igreja Católica) para homenagear os profissionais do jornalismo.
29 de janeiro - A data é, de longe, mais citada nos calendários comemorativos brasileiros mas, ao mesmo tempo, a que menos tem referências à sua criação. As informações vão desde uma homenagem ao jornalista e abolicionista José do Patrocínio (que teria falecido, nesta data, em 1905) até sendo uma data exclusivamente católica.
16 de fevereiro - Dia do Repórter. Ao contrário do que o senso comum, repórter não é sinônimo de jornalista. A função de repórter é apenas mais uma das que os jornalistas podem exercer.
03 de maio - Pode ser considerado o Dia do Jornalista por ser a data da Liberdade de Imprensa, decretada pela ONU em 1993.
01 de junho - Dia da Imprensa que durante 192 anos foi comemorado, erroneamente, em 10 de setembro (atribuía-se à Gazeta do Rio de Janeiro, jornal oficial do Império, ser o primeiro jornal brasileiro). No Brasil, a Imprensa surge em 1808, quando passou a circular, em 1º de junho, o "Correio Braziliense", editado em Londres por Hipólito José da Costa Pereira Furtado de Mendonça.
E quanto ao dia mundial? Levando em conta o maior número de pessoas comemorando, o dia 8 de novembro seria o dia oficial, em que 1,3 bilhões de chineses comemoram a data. Nos EUA, o dia do jornalista é comemorado em 8 de agosto e mais datas surgem em pesquisas em outros países.

Jornalistas são profissionais que passam no mínimo quatro anos estudando história da arte, sociologia, filosofia, psicologia, antropologia, semiótica, gestão de empresas de comunicação etc, todavia, muitos pensam que aprendem apenas redação e a sorrir para as câmeras.
A primeira função de um jornalista é transformar informação em notícia, o que implica organizar o grande volume de dados por meio de diversos processos: classificar, priorizar, hierarquizar, incluir, excluir, adaptar, expor... Esses processos são tecnicamente chamados de edição. Mas essa não é a única função.
Entre várias outras, e uma das mais importantes e árduas da profissão, está a crítica. O bom jornalista pouco concorda e muito questiona. A contestação e o questionamento são inerentes ao profissional. Por consequência os bons jornalistas angariam antipatia pelas autoridades ou por aqueles que estão no poder. 

É por isso que a primeira providência em uma ditadura é a censura – calar a imprensa. 
Mas, existem boas razões para relacionar-se com um jornalista.
Recebi, alguns dias atrás, um texto bacana, sem identificação da autora. Socializo:

√ Jornalistas acham que podem salvar o mundo com uma matéria. Veja que sensibilidade!;
√ Geralmente é criativo, ele vai surpreender você quando menos esperar;
√ São curiosos e antenados, você sempre ficará por dentro de quase tudo que acontece;

√ Eles ganham muito mal, mas isso é bom porque vocês podem aprender a economizar dinheiro;
√ No Natal, Ano Novo, Carnaval… eles provavelmente estarão trabalhando. Mas, pense pelo lado positivo: antes trabalhando do que na farra;
√ E outra! Trabalhando muito, falta tempo de se interessar por outra pessoa;
√ Eles não são bons de matemática, mal sabem somar e subtrair; mas, para que saber isso se sabem escrever bem?;
√ Acostumados com pautas, são organizados e planejam as coisas antes de fazê-las;
√ Como é fissurado por fontes, quando você tiver uma ótima ideia, ele não vai dizer aos amigos que foi coisa da cabeça dele. Dará todas as honras para você!;
√ Como vive numa rotina corrida, não tem muito tempo para opinar nas coisas da casa. O que você fizer, ele vai achar lindo;
√ Tudo é um grande brainstorming (tempestade de ideias). Monotonia não vai entrar na sua casa!;
√ Quando vocês brigarem, ele não vai achar que a opinião dele é a melhor. Tem que ouvir todos os lados de um fato, ele saberá analisar a situação!;
√ Mantêm revistas e jornais no banheiro. Você nunca ficará olhando para o vácuo enquanto faz suas necessidades fisiológicas. Ganhará conhecimento!;
√ Idolatram pessoas totalmente desconhecidas (o seu Zé, a Dona Maria, o Juquinha…) Todos com ótimas histórias de vida que vocês podem usar no cotidiano também para se tornarem pessoas melhores!;
√ Tudo para o jornalista tem uma explicação. Eles nunca vão se contentar com a primeira versão de um fato. Você sempre terá uma resposta, mesmo que demore;
√ São ótimos investigadores. Se alguém no trabalho passar a perna em você, rapidinho ele descobre quem é!;
√ Como trabalham muito, não tem tempo para beber demais, fumar, se envolver com drogas… Você terá um companheiro saudável!;
√ Tá bom, vai… eles não costumam comer coisas muito saudáveis. Mas se você for legal e fizer comida para ele levar ao trabalho, isso se resolve rapidinho, não é?
√ Suas viagens nunca serão monótonas! Se acontecer qualquer movimento estranho, ele vai logo querer saber o que é e infiltrará você junto para desvendar o problema;
√ Amam roupas leves e simples no dia a dia. Você não vai gastar muito dinheiro com isso;
√ Mas também sabem se arrumar bonitinhos para os eventos. Você terá um parceiro que sabe ser simples, mas também sabe arrasar. Tudo vai depender da ocasião;
√ A agenda é o seu melhor amigo. Mas, não fique com ciúmes! Pense pelo lado positivo, nunca vai esquecer nenhuma data importante, porque tudo fica rigorosamente descrito lá;
√ Eles não ficam irritados com “nãos”, afinal, estão acostumados com assessorias de imprensa que não querem divulgar os bafões. Você não terá um companheiro irritado, mas, em compensação ele não vai desistir até conseguir o que quer. Mas só de não ser grosso já vale, não é!?;
√ Como são antenados, também sempre ficam sabendo das novidades tecnológicas primeiro. Às vezes, até ganham de presente para testar a ferramenta. Você terá tudo em primeira mão na sua casa;
√ Eles não se importam com calor, chuva, trovões… afinal, precisam estar onde a notícia está! Você poderá ir na praia com 50 graus tranqüila ou aquela viagem dos sonhos pode se tornar um pesadelo no caos urbano que ele não vai blasfemar. Ainda vai dar risada da situação;
√ Eles sempre sabem tudo todo o tempo;
√ Gostam de música para acalmar;
√ Leem livros raros, histórias para crianças e semiótica… Seus filhos serão super dotados se depender dele;
√ Sua vida social é infinitamente grande. Você nunca poderá reclamar que não conhece gente nova;
√ Eles estão acostumados com coisas chatas e sabem contorná-las muito bem. A relação nunca vai virar algo monótono;
√ Eles gostam de camisas com estampas de alguma brincadeira sobre algo atual. Suas amigas vão ficar com inveja do seu companheiro inteligente;
√ Eles sempre têm uma opinião sobre qualquer coisa na face da Terra. Durante uma conversa entre amigos, vocês nunca ficarão apagados;
√ A maioria gosta de virar psicólogo, técnico de futebol e médico às vezes. Você terá um companheiro mil e uma utilidades;
√ Por causa da profissão, são forçados a aprender mais de um idioma. Você vai ouvir “Eu te amo” em, pelo menos, umas três línguas diferentes;
√ A primeira coisa que seu filho vai aprender é que a informação é a alma do negócio. Com dois anos, sua fofurinha vai saber o que é aquecimento global, mercado financeiro e já saberá criticar políticos;
√ Gostam de mudar de cidade, estado e até de país. Você conhecerá muitos lugares!;
√ Assistem documentários e vão a museus o tempo todo, não importa o que seja. Ô cultura!


Apesar destas "maravilhas" apontadas acima, nos últimos dez anos aumentaram os casos de depressão, infidelidade conjugal e uso de drogas entre os jornalistas. No vídeo abaixo uma excelente dica de como ajudá-lo numa situação cada vez mais comum de acordo com a pesquisa de José Roberto Heloani.
video

A recente pesquisa do professor da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas ), revela também que o fato de haver poucos e grandes grupos de comunicação, isso faz com que as pessoas afetadas não façam denúncias formais em casos de assédio.
Para ele, a melhor maneira de melhorar a situação do jornalista é dialogar sobre os problemas da profissão e fortalecer os sindicatos. O estudo foi feito com base em uma pesquisa intermediária de 2005 feita com 70 profissionais e uma pesquisa mais recente, com 250 jornalistas.
Para finalizar esta postagem, uma imagem e um curto texto para que você possa fazer uma das coisas que mais dá prazer ao profissional do jornalismo, provocar no cidadão a reflexão, diferentes pontos de vista, o debate:

Leia mais:
Corrupção, um mal que aleija consciências
Uma arma à cabeça, um tiro. Jornalismo é profissão de riscos

Nenhum comentário:

Postar um comentário