sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Maioria dos sulistas deseja plebiscito sobre separação do Brasil


Pesquisa conclui que 53,85% da população sulista apoia plebiscito separatista

No 21/12/12, não se concretizou o anunciado fim do mundo. Mas, para a maioria dos sul-brasileiros, a pesquisa abaixo pode confirmar o desejo do fim da relação política/administrativa centralizadora da República Federativa Brasileira. Pesquisadores ouviram 19.552 eleitores nos 48 maiores municípios da região Sul entre os dias 19 de novembro e 15 de dezembro de 2012. Apenas 30,16% da população é contra a proposta de do plebiscito de separação do Sul


Pesquisa divulgada no dia 20 de dezembro pelo Gesul (Grupo de Estudos Sul Livre) indica que índices de aprovação da proposta de plebiscito para criação de um novo país, envolvendo os três estados - Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul - tem ampla aprovação por parte da população dos 48 maiores municípios com mais de 100 mil habitantes da região Sul. Segundo os dados divulgados pela entidade, com sede em Brusque, Santa Catarina e coordenada pelo jornalista e professor, Celso Deucher, a pesquisa ouviu 19.552 eleitores entre os dias 19 de novembro e 15 de dezembro deste ano e concluiu que 53,85% aprovam a criação de um novo país, contra 30,16% que reprovam a proposta, sendo que 15,99% dos entrevistados confessaram-se indecisos.
O Estado com maior aprovação da proposta é o Rio Grande do Sul, onde 60,89% da população posicionou-se favorável, contra apenas 26,60% que reprova. O Estado tem também o menor índice de indecisos, entre os três estados, 12,51%. Santa Catarina é o segundo estado com maior aprovação. Neste Estado, 54,17% dos entrevistados aprovam a criação de um novo país, sendo que 30,30% reprovam a proposta e 15,53% estão indecisos. O Estado com menores índices de aprovação a proposta é o Paraná com 46,85% a favor, 33,49% contra e 19,66% que estão indecisos.
“Nos três Estados a proposta separatista vence com larga margem em relação aos que são contra e mesmo no Paraná, onde os índices são menores, se houvesse um plebiscito, venceria com mais de 13% de margem. Surpreende os números do Rio Grande do Sul, que de acordo com pesquisas sempre manteve-se numa média de aprovação em torno de 55%. Esta última pesquisa mostra que a aprovação a proposta separatista vem num crescendo, chegando em 2012 a mais de 60%”, explica Celso Deucher, que acompanhou a coleta dos dados e divulgou oficialmente os números em nome do Gesul, do qual é Secretário Geral.
Segundo ele, das 48 cidades pesquisadas, a proposta só perderia por pequena margem, em quatro delas. Três no Paraná, Curitiba, São José dos Pinhais e Foz do Iguaçu; e uma em Santa Catarina, Palhoça. Na capital paranaense os números divulgados indicam que 36,90% da população é favorável a proposta, 38,55% é contra e 24,55% encontra-se indecisa. Em São José dos Pinhais, cidade da região metropolitana de Curitiba, a diferença entre os que são favoráveis e os contra, foi de apenas 1,04% reprovando a proposta. Neste município, 35,94% dos entrevistados são favoráveis a separação e 36,98% são contra. Os indecisos somam 27,08, um dos maiores índices da pesquisa.
“Acreditamos que os números de São José dos Pinhais sejam um reflexo de Curitiba, assim como, de certa forma, os números de Palhoça, também refletiram os números da capital catarinense”, analisa Deucher. Em Palhoça a proposta separatista recebeu 37,76% dos votos a favor, contra 38,54% contra, tendo 23,70% de indecisos. No outro município paranaense onde a proposta foi reprovada, Foz do Iguaçu (PR), 38,02% posicionaram-se a favor, 38,54% contra e 23,44% dos entrevistados estavam indecisos. “São diferenças ínfimas em todos os quatro municípios pesquisados que reprovaram a proposta, o que mostra que se houvesse de fato o referido plebiscito, haveria uma polarização bastante acentuada entre as duas partes”, enfatiza o coordenador da pesquisa. No Estado do Rio Grande do Sul, a ideia é vencedora em todas as 18 cidades pesquisadas.
As pesquisas em todos os municípios seguem nos gráficos, divulgados pelo Gesul na tarde da quinta-feira, dia 20. Neles aparecem além dos gráficos as bandeiras do Brasil, significando os que são contra a proposta, uma interrogação para os indecisos e uma bandeira em azul Royal com três estrelas (Alfa, Gama e Beta) alinhadas em triângulo no canto superior esquerdo, que segundo Celso Deucher, são os três Estados do Sul. “Esta é a bandeira do Movimento O Sul é o Meu País, principal entidade organizada que defende esta proposta de autodeterminação parcial ou total dos três Estados meridionais”, explica.

Pesquisas sobre a proposta separatista começaram em 1991
Celso Deucher assinala ainda que é a primeira vez na história da região sul do Brasil que uma pesquisa envolvendo o tema, alcançou tantas pessoas em tantos municípios. O Gesul realiza pesquisas deste tipo desde o ano 2000, quando foi criado em Brusque, SC, mas o monitoramente da proposta através dos números começou em 1991, quando foram divulgados pela Revista “Isto É”, os primeiros levantamentos, feitos pelo IBOPE e pelo Instituto Bonilha. De lá para cá, anualmente são realizados levantamentos e pesquisas, em especial nas três capitais, Curitiba, Florianópolis e Porto Alegre e eventualmente em pequenas cidades do interior. “Acreditamos que a partir destes números, podemos ter uma noção bastante completa do atual estágio desta proposta entre a população Sulista”, diz. Este ano a entidade resolveu ampliar o universo pesquisado e mudou todos os pesquisadores. “Desta vez temos uma equipe que não tem nenhuma ligação com o Movimento O Sul é o Meu País, que contratou a pesquisa. No ano passado as equipes pesquisadoras tinham ligação com a entidade e isso de certa maneira colocava em risco a confiabilidade dos números”, explica Deucher.
Estas pesquisas fazem parte de uma ação bem mais ampla encabeçada pelo Movimento O Sul é o Meu País e que é denominada de “Projeto de Consultas Populares” com previsão de término em 2015. “Estes números projetam com alto grau de precisão, quais são os índices de aprovação e reprovação do projeto separatista Sulino. Eles certamente servirão para que o Movimento O Sul é o Meu País possa focar seu trabalho de conscientização plebiscitária”, diz o professor.
O Movimento O Sul é o Meu País é uma entidade legalmente constituída em 2002, funcionando como uma ONG de defesa do direito de Autodeterminação dos Povos, previsto na Carta de Direitos Humanos da ONU e nos vários documentos oficiais do direito internacional. A entidade está presente, segundo Deucher, em 865 municípios da região Sul e possui hoje representação internacional em mais de 20 países.

Municípios pesquisados
Ao todo foram pesquisados 48 municípios nos três Estados, sendo 18 no Paraná, 18 no Rio Grande do Sul e 12 em Santa Catarina. Os municípios paranaenses foram: Curitiba, Londrina, Maringá, Ponta Grossa, Cascavel, São José dos Pinhais, Foz do Iguaçu, Colombo, Guarapuava, Paranaguá, Apucarana, Toledo, Araucária, Pinhais, Campo Largo, Arapongas, Almirante Tamandaré e Umuarama. Em Santa Catarina, Joinville, Florianópolis, Blumenau, São José, Criciúma, Chapecó, Itajaí, Lages, Jaraguá do Sul, Palhoça, Balneário Camboriú e Brusque. No Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Caxias do Sul, Pelotas, Canoas, Santa Maria, Gravataí, Viamão, Novo Hamburgo, São Leopoldo, Rio Grande, Alvorada, Passo Fundo, Sapucaia do Sul, Uruguaiana, Cachoeirinha, Santa Cruz do Sul, Bagé e Bento Gonçalves. Os resultados de cada uma destas cidades, estão nos gráficos que ilustram essa postagem.

Metodologia da pesquisa
Nos municípios com mais de 500 mil habitantes, Curitiba, Londrina, Joinville e Porto Alegre os pesquisadores entrevistaram 664 eleitores. Já nos municípios abaixo de 500 mil foram ouvidos 384 eleitores. Os pesquisadores fizeram ao todo três perguntas para cada entrevistado. A primeira delas foi em relação a idade, visto que a pesquisa tinha como objetivo entrevistar apenas eleitores. A segunda pergunta referia-se a localização residencial, objetivando consultar apenas pessoas residentes naquele município pesquisado. Estando presentes estas duas condições, os pesquisadores indagavam o eleitor com a seguinte pergunta: “Se o governo federal permitisse um plebiscito para separar a região Sul (PR, SC, RS), você votaria?”. Havia apenas três alternativas: a favor, contra, indeciso.
As entrevistas foram feitas através de amostra aleatória simples sobre variáveis categóricas. “Este tipo de amostra aleatória é aquela na qual todos os pesquisados têm a mesma probabilidade de serem selecionados. Ao mesmo tempo, como variável categórica, foram selecionadas as amostras, através das duas perguntas antecedendo a principal, pois precisávamos saber se o cidadão era morador daquele município e se era eleitor”, explica Deucher. “Optamos por usar uma metodologia aprovada pela Associação Brasileira de Pesquisa para que ela tenha uma margem de erro o menor possível. Neste caso específico trabalhamos com uma margem de 5%, para mais ou para menos e um nível de confiança de 95%”, afirma. A pesquisa usa também os cálculos amostrais do professor Glauber Eduardo de Oliveira Santos, referência em pesquisas nas universidades brasileiras.

O que é o Gesul
O Gesul (Grupo de Estudos Sul Livre) é formado por um grupo de intelectuais dedicados ao estudo do fenômeno separatista na América Portuguesa e em especial do separatismo Sulista. Foi criado no dia 26 de agosto de 2000 em Brusque, SC, e mantém em seu quadro de membros historiadores, filósofos, sociólogos, economistas, constitucionalistas, advogados e outros pesquisadores. Mantém como foco de seus estudos avançados o direito de autodeterminação dos povos na América Portuguesa. Seus membros não necessariamente são da região Sul, pois possuem em seus quadros intelectuais de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Brasília, entre outros. 
Reúne-se em assembléia geral uma vez por ano, geralmente em setembro e dedicam-se prioritariamente a “avaliar através de pesquisas o processo histórico porque vem passando o povo da região Sul do Brasil em busca de se tornar sujeito do direito de Autodeterminação”. “Não se trata de um Movimento Independentista, mas de uma entidade formada por pessoas que usam da sua experiência intelectual objetivando estudar com maior profundidade o fenômeno do separatismo no continente brasílico e em especial do povo Sulista”, diz Sérgio Alves de Oliveira, um dos mais destacados membros fundadores da entidade. Segundo ele, um outro objetivo do Gesul é contribuir com estudos e pesquisas de campo com o Movimento O Sul é o Meu País, único Movimento na ativa que defende claramente o direito de autodeterminação do povo Sulista. “Nesta parceria nós do Gesul procuramos aprimorar os instrumentos de luta pacífica que este Movimento vem desenvolvendo”, afirma. 

 Resultado da pesquisa nos municípios paranaenses
Curitiba

Resultados
%
A favor
36,90
Contra
38,55
Indecisos
24,55
Total
100,00


Londrina

Resultados
%
A favor
42,62
Contra
35,54
Indecisos
21,84
Total
100,00

Araucária

Resultados
%
A favor
43,23
Contra
34,90
Indecisos
21,88
Total
100,00

Pinhais

Resultados
%
A favor
38,02
Contra
36,20
Indecisos
25,78
Total
100,00

Arapongas

Resultados
%
A favor
60,94
Contra
25,52
Indecisos
13,54
Total
100,00

Almirante Tamandaré
Resultados
%
A favor
51,82
Contra
27,86
Indecisos
20,31
Total
100,00

Maringá

Resultados
%
A favor
52,34
Contra
35,94
Indecisos
11,72
Total
100,00

Ponta Grossa

Resultados
%
A favor
59,38
Contra
24,48
Indecisos
16,15
Total
100,00

Umuarama
Resultados
%
A favor
50,52
Contra
30,47
Indecisos
19,01
Total
100,00


Campo Largo

Resultados
%
A favor
44,01
Contra
33,85
Indecisos
22,14
Total
100,00

Cascavel

Resultados
%
A favor
56,77
Contra
31,77
Indecisos
11,46
Total
100,00

São José dos Pinhais
Resultados
%
A favor
35,94
Contra
36,98
Indecisos
27,08
Total
100,00

Foz do Iguaçú

Resultados
%
A favor
38,02
Contra
38,54
Indecisos
23,44
Total
100,00

Colombo

Resultados
%
A favor
42,45
Contra
34,90
Indecisos
22,66
Total
100,00

Guarapuava

Resultados
%
A favor
51,56
Contra
32,81
Indecisos
15,63
Total
100,00

Paranaguá

Resultados
%
A favor
48,18
Contra
35,94
Indecisos
15,89
Total
100,00

Apucarana

Resultados
%
A favor
50,78
Contra
30,21
Indecisos
19,01
Total
100,00

Toledo

Resultados
%
A favor
50,26
Contra
33,07
Indecisos
16,67
Total
100,00

 Resultado da pesquisa nos municípios catarinenses

Joinville

Resultados
%
A favor
51,36
Contra
31,63
Indecisos
17,02
Total
100,00

Florianópolis

Resultados
%
A favor
38,28
Contra
35,42
Indecisos
26,30
Total
100,00

Blumenau

Resultados
%
A favor
58,33
Contra
31,51
Indecisos
10,16
Total
100,00

São José

Resultados
%
A favor
42,19
Contra
35,42
Indecisos
22,40
Total
100,00

Criciúma

Resultados
%
A favor
60,16
Contra
27,08
Indecisos
12,76
Total
100,00

Chapecó

Resultados
%
A favor
64,58
Contra
25,52
Indecisos
9,90
Total
100,00

Itajaí

Resultados
%
A favor
61,46
Contra
31,25
Indecisos
7,29
Total
100,00

Lages

Resultados
%
A favor
65,63
Contra
25,52
Indecisos
8,85
Total
100,00

Jaraguá do Sul
Resultados
%
A favor
52,34
Contra
29,69
Indecisos
17,97
Total
100,00

Palhoça

Resultados
%
A favor
37,76
Contra
38,54
Indecisos
23,70
Total
100,00

Balneário Camboriú
Resultados
%
A favor
56,25
Contra
27,08
Indecisos
16,67
Total
100,00

Brusque

Resultados
%
A favor
63,80
Contra
23,96
Indecisos
12,24
Total
100,00

Resultado da pesquisa nos municípios gaúchos

Porto Alegre

Resultados
%
A favor
54,97
Contra
30,27
Indecisos
14,76
Total
100,00

Caxias do Sul

Resultados
%
A favor
62,76
Contra
25,52
Indecisos
11,72
Total
100,00

Rio Grande do Sul
Pelotas

Resultados
%
A favor
64,06
Contra
23,70
Indecisos
12,24
Total
100,00

Canoas

Resultados
%
A favor
56,77
Contra
24,48
Indecisos
18,75
Total
100,00

Santa Maria

Resultados
%
A favor
66,41
Contra
25,52
Indecisos
8,07
Total
100,00

Gravataí

Resultados
%
A favor
54,43
Contra
23,44
Indecisos
22,14
Total
100,00

Viamão

Resultados
%
A favor
57,03
Contra
25,00
Indecisos
17,97
Total
100,00

Novo Hamburgo
Resultados
%
A favor
66,15
Contra
25,52
Indecisos
8,33
Total
100,00

São Leopoldo

Resultados
%
A favor
64,32
Contra
23,70
Indecisos
11,98
Total
100,00

Rio Grande

Resultados
%
A favor
68,23
Contra
19,27
Indecisos
12,50
Total
100,00

Alvorada

Resultados
%
A favor
52,86
Contra
34,90
Indecisos
12,24
Total
100,00

Passo Fundo

Resultados
%
A favor
68,49
Contra
22,66
Indecisos
8,85
Total
100,00

Sapucaia do Sul
Resultados
%
A favor
63,02
Contra
24,22
Indecisos
12,76
Total
100,00

Uruguaiana

Resultados
%
A favor
67,71
Contra
23,18
Indecisos
9,11
Total
100,00

Cachoeirinha

Resultados
%
A favor
57,55
Contra
31,77
Indecisos
10,68
Total
100,00

Santa Cruz do Sul
Resultados
%
A favor
52,60
Contra
36,20
Indecisos
11,20
Total
100,00

Bagé

Resultados
%
A favor
67,19
Contra
24,48
Indecisos
8,33
Total
100,00

Bento Gonçalves
Resultados
%
A favor
55,73
Contra
32,29
Indecisos
11,98
Total
100,00

28 comentários:

  1. Escuto isso há 25 anos, e até agora NADA DE CONCRETO!

    Apenas UTOPIA.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Altamir!

    No mínimo interessante sua pesquisa. Tenho muito intersse em ver o questionário aplicado, seria possível? talita.amelie@gmail.com

    ResponderExcluir
  3. Talita. A pesquisa não é minha. É do Gesul, que no texto explica a metodologia.

    ResponderExcluir
  4. Ao "anônimo",lembro que se ele tivesse ajudado a proposta separatista do SUL nestes 25 anos talves ela estivesse mais avançada.É muito cômodo esperar pelos "outros". Parabéns ao grande Altamir Andrade pela divulgação dessa pesquisa sobre um SUL LIVRE,sabendo-se que ele não tem nenhum interesse econômico pessoal no assunto.

    ResponderExcluir
  5. hahahahah, ajudado com oque cara pálida?!

    Apenas com reuniões e discursos?!

    NUNCA VI algo concreto em relação a isso, apenas palavras e UTOPIA.

    E outra, TODOS que responderam essa pesquisa, são SULISTAS?!

    Ou tem um monte de porco paulista e carioca no meio?!

    Foi checada a CERTIDÃO DE NASCIMENTO?!

    ResponderExcluir
  6. Sou a favor da separação.Acredito que os três estados possuem plena capacidade de se desenvolverem ainda mais se possuirem maior autonomia e conseguirem que o dinheiro de seus impostos sejam aplicados nessas 3 regiões, ao invés de serem mandados a Brasília, onde normalmente são distriuídos a todas as regiões, voltando nem ao menos 20% para cá.
    Podem contar com o meu apoio.
    ***

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eram para vcs terem vergonha. Os estado que mais tomam nas costas estão no sudeste que veem seus impostos sento distribuídos de forma desigual pelo Brasil, incluindo o sul!!

      Excluir
    2. você é burro cara? des de quando o sudeste paga alguma coisa aqui no sul ?
      os 3 estados juntos mandam quase 60 bilhoes para Brasilia e cada um recebe 5 a 6 bilhoes para sobreviver.. você acha isso justo ?
      quem deveria ter vergonha é você! os estados do sudeste pagam 300 bilhoes ao governo e não recebem nem 1/10 disso! e mesmo assim são a favor do Brasil..

      Excluir
  7. Que pesquisa ridícula, feita por um órgão sem credibilidade (é a própria associação pró separatista que fez a pesquisa).

    Vcs acham mesmo que alguém sensato vai acreditas nisso tudo ?
    E acham que o Sul é diferenciado do Brasil, mas apresentam essa fanfarronice ae. Ridículo.

    ResponderExcluir
  8. “É um delírio baseado em segregação racial e intolerância que destoa da forma coletiva e plural da construção da nação brasileira”

    ResponderExcluir
  9. o nosso dinheiro vai tudo pro nordeste, ou pros politicos de la, sou a favor

    ResponderExcluir
  10. Sou do Norte, e o que os políticos fazem com dinheiro publico aqui, é brincadeira, uma parte do Brasil trabalha e a outra festeja...

    ResponderExcluir
  11. sou de salvador de origem espanhola,o sul a muito tempo já era para esta livre do brasil quadrilha,lembrado da guerra farrapilha.penso a mesma coisa na bahia,muito atrasada mais tende acresce,aprendi a amar a bahia e a minha amadar espanha,o espanhol e recomhecido pelo sangue.mesmo tendo nascido no brasil,sonho vendo a bahia levre do pais corrupto deputados ladroes senado alienado.a verdadeira independência houve na bahia,onde muitos morreram.

    ResponderExcluir
  12. Se o Sul deixar São Paulo e Mato Grosso do Sul de fora, esse sonho nunca se realizará. É necessário estudar e aceitar essa ideia para que um dia isso possa se concretizar.

    ResponderExcluir
  13. o sul quer se separar por motivo nenhum. os mesmos problemas do sul existem em qualquer regiao do brasil.#BrasilUnido

    ResponderExcluir
  14. Separar o Sul do Brasil? E entregar o posto de maior economia da América Latina para México e/ou Argentina? Não! Já cansei desse discursinho pobre e vazio dos sulistas. Separatismo aqui não.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Posto de maior economia?! É com isso que você se importa, do que adianta ter a maior economia da América Latina e nada ser investido no povo? Por favor né, e ainda vem falar de discursinho pobre e vazio abre o olho cara

      Excluir
  15. Sempre tive pensamentos separatistas, mas não se resolve problemas fugindo o "abandonando o barco".
    Houve tempos de guerra em que lutar pela separação era sim a escolha valente e destemida mas os tempos são outros.
    Em tempos de globalização nossa luta é por melhor destino do dinheiro público.
    Meus amigos, lutar hoje em dia é usar de ferramentas democráticas como voto e protestos fundamentados.
    Sou gaúcho e tenho certeza de que estamos no melhor país do mundo e precisamos ajudá-lo a melhorar e não abandoná-lo. Um país é como uma empresa, que trabalha melhor unida, em equipe e organizada.

    ResponderExcluir
  16. QUE COISA RIDICULA SEPARAR O BRASIL...

    ResponderExcluir
  17. "Fernando Pereira" oque adianta ser a maior economia e o país ser uma pobreza ?
    melhor separar em pequenas regiões e esquecer o Brasil que nunca deu certo!

    ResponderExcluir
  18. Apenas o sul não tem forças, teriam que unir os três estados mais o Mato Grosso do Sul pelo menos, que é uma potência agrícola e grande parte habitada por gaúchos, paranaenses e catarinenses. Eu mesmo sou filho de gaúcho e nasci no MS, mas se me perguntam de onde eu vim eu respondo: Eu sou gaúcho!

    ResponderExcluir
  19. O Pessoal que fez essa pesquisa não sabe o desastre que seria para nós.


    P. S.: Sou do Paraná e não estou sendo irônico.

    ResponderExcluir
  20. Vcs acham que o governo federal vai permitir que isto aconteça !
    Se tiver um meio sem guerra, qual seria ? como podemos através da lei chegar a este objetivo ?
    Sei que muitos estão mudos quanto a querer esta separação, por medo, por falta de não saber como conseguir chegar a este objetivo.
    Se isto não acontecer, vcs sabem quando vamos ter um presidente de nossa região no governo federal ? respondo: nunca !

    ResponderExcluir
  21. O momento de reavivar as discussões é agora, com mais esta demonstração pública das urnas. Mas concordo com um comentário acima, temos que pensar em agregar SP a causa. Estas eleições mostrou claramente uma separação dos estados que trabalham e os estados que vivem dos bolsas.

    ResponderExcluir
  22. Mas não é só o movimento o sul é meu país que existe...pelo menos aqui no rio grande existe mais um...principalmente na região sul e oeste do estado...e que por sinal é mais conhecido q o sul é meu país...e tbm mais respeitado que esses nazista do sul é meu país. ..e nao envolvem catarina ou paranaense nenhum...o movimento Pampa Livre prega a retomada da independencia apenas do RS...

    ResponderExcluir
  23. Sou Brasileiro com muito orgulho sou totalmente contra esse movimento separatista xenófobo além do que a constituição proibe isso.

    ResponderExcluir
  24. Sou Brasileiro com muito orgulho sou totalmente contra esse movimento separatista xenófobo além do que a constituição proibe isso.

    ResponderExcluir