sexta-feira, 30 de novembro de 2012

"Claro" que botariam no meu, inclusive a engANATEL

Por alguns poucos anos contratei os serviços de telefonia móvel da Claro para nossa empresa. Entre o vendido e o oferecido, rapidamente aumentou a distância ampliando o nosso descontentamento. Quando, no fim do ano de 2010, uma agente me ligou oferecendo renovação do plano tivemos esse diálogo:
- Estamos oferecendo novos aparelhos, ao preço de apenas um real cada um e, no fim do ano, um bônus de desconto para a sua renovação.
- Não temos interesse em renovar. Não queremos novos aparelhos. Vamos mudar de operadora (elenquei nossas razões de descontentamento) no início do próximo ano.
- Então vamos manter o mesmo plano, se vocês decidirem continuar conosco, no fim do ano terão o bônus de desconto, pelo menos.
- Obrigado. Mas devemos mudar de operadora no início de 2011.

O calvário
Em janeiro de 2011 fizemos contato com outra operadora e um solícito consultor nos atendeu com uma proposta irrecusável com serviços ampliados e preços menores reduzindo custos em aproximadamente 30%.
Explicamos para ele a conversa que tive com a agente da Claro e pedi que, antes de fazer a mudança de operadora, ele confirmasse se haveria qualquer possibilidade de multa. Confirmado por ele que não havia qualquer impedimento ou possibilidade de multa (o que era lógico haja vista ninguém na empresa ter renovado o contrato com a Claro) mudamos de operadora no mês seguinte.
Começou nosso caminho ao calvário...
Fiquei aguardando a fatura da Claro para quitar o último mês de uso e, para nossa supresa, na mesma fatura, uma valorosa multa de R$ 2.250,00.
Imediatamente entramos em contato com a operadora e a informação dada pela atendente é que nosso contrato havia sido renovado no fim do ano e rompido unilateralmente, portanto a multa estava prevista no contrato e, ponto final.
Já vai completar um ano que estamos numa luta para evitar esse "roubo".

engANATEL
Procuramos a ANATEL. Foi inacreditável o retorno que nos deram. Eu mesmo atendi esse retorno em que a atendente da agência me comunicou:
- Senhor, temos registrado aqui, pela operadora Claro, que o senhor renovou o contrato e logo em seguida mudou de operadora. Portanto o senhor deve pagar a multa, sim.
- Eu nunca renovei o contrato. Eu sei que quebra de contrato gera multa. Você acha que em sã consciência eu quebraria o contrato para gerar uma multa dessas?
- Senhor, é o que tenho a lhe dizer. O senhor rompeu o contrato e deve pagar a multa...
- Peguem a gravação da atendente da Claro quando ela ligou para mim no fim do ano passado e vocês verão que eu não renovei o contrato.
- Senhor, a gravação fica disponível por apenas três meses...
- Isso quer dizer que se depender da ANATEL eu tenho que pagar essa multa injusta, esse roubo, para a Claro.
- O senhor rompeu o contrato que prevê a multa.
- Mas eu não renovei nenhum contrato...
- Não é o que temos registrado aqui senhor...
- A ANATEL não deveria proteger o consumidor ao invés de defender as poderosas operadoras de suas ações criminosas como essa?
- Senhor, a ANATEL está fazendo o que lhe compete...
- Sei, a engANATEL está fazendo o que lhe compete...
E desliguei, vencido, derrotado.

Serasa
No mês seguinte, uma correspondência da Serasa Experian nos informava que nossa empresa já estava lá. Pela primeira vez, em 25 anos com nossa empresa, estamos cadastrados no Serasa Experian, acumulando prejuízos desde então.
Óbvio que tenho todos os números de protocolos com a Claro e a engANATEL. Vamos tentar mais uma vez contato com a agência. Se o resultado for o mesmo, então teremos que buscar outros caminhos que possam nos proteger desse "roubo" avalizado pelo governo...

"Oi", aqui não é muito diferente...
Se pensam que agora, com a nova operadora, estamos felizes, acreditem, fomos vítimas de um representante igualmente "criminoso". Mas, isso é tema para outra postagem...

E você. Já foi surrupiado por alguma operadora?

Nenhum comentário:

Postar um comentário