quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Analfabetismo político, um dos piores males brasileiro


Berthold Brecht, que viveu entre os anos de 1898-1956, se consagrou como um dos maiores pensadores políticos do mundo contemporâneo. Ele conceituou uma pessoa que não lê, não ouve, não fala e não participa dos acontecimentos políticos como “analfabeto politico”. Ele foi ainda mais contundente ao afirmar que pessoas desligadas de questões políticas são verdadeiros, “imbecis e ignorantes que se orgulham e estufam o peito dizendo que odeiam a política. Não sabem que, da própria ignorância política, nasce a prostituta, o menor abandonado e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto...”
Na eleição passada quase cem parlamentares, um em cada cinco deputados, sofriam algum processo por corrupção, ou por malversação de fundos, ou por atos de violência cometidos nos seus estados de origem. Mais de 2.900 candidatos eram inelegíveis, ou por corrupção ativa ou passiva, ou por não terem administrado bem os seus estados e as suas cidades.
Com raras exceções os políticos parecem despreparados para sua gigantesca tarefa de representar o povo. Não raras vezes os partidos escolhem quem pode puxar votos e não quem tem conteúdo para aquele cargo. Ao assistir esse vídeo do polêmico programa televisivo CQC tudo isso se confirma, infelizmente.
video
Precisamos agir para mudar esse quadro. Para isso, devemos combater o analfabetismo político. Ano que vem teremos eleições municipais. Elegeremos vereadores e prefeitos. Se nos envolvêssemos com a política como o fazemos com o futebol, por exemplo, estou certo, jamais assistiríamos um vídeo como esse acima. Ajude a combater esse analfabetismo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário